segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

feliz ano véio, mais-feliz-ainda ano novo!



Chegamos. Aos trancos e barrancos, mas chegamos!
Agora tudo tá valendo a pena, ganhando cara e peso de aventura. Altas coisas se renovando .. planos, sonhos, idealizações, anseios e esperança, muita esperança.
Dois mil e doze tá indo embora e eu nem sei quando vou topar com ele de novo, mas fica aqui registrado meu agradecimento por todas as novas e velhas experiências que foram proporcionadas.

Que haja continuidade

Feliz ano novo. Feliz 2013!!



quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

por fora dos ismos





    As pessoas estão ficando cada vez mais falsas em essência. São a favor da independência e da plena liberdade, mas são cegamente obedientes aos seus materialismos e vaidades .. isso limita, mais prende do que solta, meu fi!!

   Eu mesma sou um exemplo dessa truvuada toda, ô menina conturbada!! Não sou nenhuma pessoa livre, muito pelo contrário! Pertenço um tiquim a muitas outras coisas (animadas e inanimadas), não sou independente. Dependo de futilidades e utilidades, mas reconheço tintim por tintim do que me priva e desvia de minha totalidade.
   Reconhecer é importante. Saber onde cai cada fiozinho de cabelo que te pertence é fundamental. Afinal de contas, somos o que guardamos e o que distribuímos.

    Por isso, meu fi, queira ser o que te compete. Não assuma posturas que não correspondem ao que você realmente é, pois isso pode acabar desencadeando numa contradição, tirando toda a sua legitimidade.

    É chato num ser, né? Justo a gente que quer sempre ser tudo!!!!
Eu também quero ser muita coisa... mas, antes de tudos e todos, quero saber o que eu sou, pra quem sou e por que sou.

   Por um mundo menos obediente aos ismos, estes que, muitas vezes, mais nos limitam do que nos esclarecem!

Hoje eu tô cos zóio preguiçoso ... num quero ver nada!

eu tô que tô


Lelé da cuca pra dedéu
Tipo vendo caneta dançando
Procê vê como que é cabeça feliz
Numa dessas
Até a tristeza dança







sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

parece que oceis têm é medo!



O que vocês têm contra o clichê?
Pensam que é um bicho papão exterminador da santa originalidade?
Acham mesmo que ele leva a limitação?
Limitar-se é, antes de tudo, renegar



segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

gente, gente, gente, gente!!



Só se for pra ser feliz
Sol se foi pra ser feliz
Sou se for pra ser feliz

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

e lá se vai ..




"Porque se chamava moço
Também se chamava estrada
Viagem de ventania
Nem se lembra se olhou pra trás
Ao primeiro passo, asso, asso
Asso, asso, asso, asso, asso, asso
Porque se chamavam homens
Também se chamavam sonhos
E sonhos não envelhecem
Em meio a tantos gases lacrimogênios
Ficam calmos, calmos
Calmos, calmos, calmos
E lá se vai mais um dia
E basta contar compasso
E basta contar consigo
Que a chama não tem pavio
De tudo se faz canção
E o coração na curva
De um rio, rio, rio, rio, rio
E lá se vai...
E lá se vai...
E o rio de asfalto e gente
Entorna pelas ladeiras
Entope o meio-fio
Esquina mais de um milhão
Quero ver então a gente, gente
Gente, gente, gente, gente, gente ..."





sábado, 1 de dezembro de 2012

daí jogaram alfabeto no meio!


Eu vivo da não-matemática
Ignoro equações que te enfeitam
Que saem do nada
Que voltam pro nada
Que chegam
Confundem a confusão
E dão tchauzinho
Tchau, menina ruim de conta!
Tchau ...
Tchau ...
O que eu tenho a dizer aos números?
Eles são tão números
Que eu fico até sem palavras!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

pensa que mingana


Dia desses eu tava cos pé nuns chãos por aí
Daí fiz uma cara deslocada
É que passei por reclamações
Uma buzinaiada danada ....
Vi até um homi que come em restaurante
Vivendo do sonho dos outros
Aí é que eu num entendi nada
Continuei com a cara torta
Toda cheia de escrituras na testa ....
Eu num sou toda boa no inglês, não
Tenho que ser das honesta
Mas nesse dia
Ah ... nesse dia
Eu te traduzi!

Bicho homi
Um projeto de coisa bem sucedida.


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

esse dois mil e doze ...


Imagem para fechar mais um final de semana desse dois mil e doze nada par, todo ímpar.
Ocê tá me enfiando em cada singularidade .. não sei se tô preparada pra tanta novidade .. é, num sei, não!
O fato é que tô por aqui .... confesso que existem os dias em que tô mais pra lá do que pra cá, mas tão poucos são. Essa ausência de motivos realmente tristes, nutre algo em mim que me escapa as visão e desliga o lado chato da minha cuca.
Eu não tô pensando em muitas coisas. Eu nunca fui de pensar muito ... eu sou tão sossegada, mas não é isso que me faz dormir na minha própria existência.
Não quero apanhar de ninguém, mas eu acho que nasci pra saber do pouco que de fato existe e ignorar o muito que vocês inventam.

Oceis complicam demais ... será que já perceberam?

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

comôce tá dimudado!


As pessoas mudam pra dedéu, mas eu não obrigo ninguém a ser pra sempre a mesma coisa.
Eu, nós, todo mundo junto, temos uma mania muito infeliz e irresponsável de associar, principalmente, nossas influências artísticas, ao que eles foram em sua juventude, ao que expressaram num determinado período de suas vidas. Não vemos que, quase sem querer, limitamos essas pessoas dentro de suas próprias vidas, coisa que, com certeza, não desejamos nem a nós mesmos!

Não sei, sem dúvidas esse é um tema complexo pra chuchu. No entanto, reconhecer que cuidar da nossa vida já basta, é um danado dum começo batuta!
E eu acho um dos trem mais bão que as pessoas mudem! Sinal de que não estamos parados nas mesmas ideias, objetivos, gostos, qualidades e defeitos. Agora, se ocê tem preferência por outras faces e fases de seu observado, são outros quinhentos e noventa e dez!

Ter preferência é uma coisa, ordenar, limitar, encasquetar com a mutabilidade alheia, ser egoísta, trata-se de outra muito diferente. Eu fujo! não curto de véu e grinalda de jeito algum esse tipo de coisa ruim!

Vamos nos descobrindo por aí, pu favô


sexta-feira, 16 de novembro de 2012

assim dizia minha tia


Ora, ora
A surpresa te catou pelos cabelos de novo?
Eu bem que te falei pra passar uma máquina zero nesse furdunço
Esses negócios que tem arregala os zóio
E te pede por cara de espanto
Num hão de fazer gostosuras com o seu coração!!
Corte esse cabelo, montoado de fios deslocados
Manda pra fora essas aventuras inesperadas
Deixe de se querer pelo contrário
Obedece ao pedido da titia
E vá ser feliz conforme o combinado
Larga dessas manias de querer enganar o destino
Porque isso é coisa de gente que num quer ser gente nunca!
Engula suas ousadias
E guarda o que te solta
Hoje eu te quero feito um pãozim de ló
Só que sem recheio
Pra mode num engordar as pança nem as ideia



saudade




quarta-feira, 14 de novembro de 2012

não mando cartas


Eu tenho muito apreço pelo que não tem endereço!

domingo, 11 de novembro de 2012

esses papo cabeça que num tem sorriso



Cê é bobo ou quer um real?
Não
Não é isso, não
É que ocê me pareceu um tanto quanto
Um tanto quanto ...
Ou melhor
Um nada quanto
Matematicamente zero
Infinitamente nada
Cheio só duns trem que num convém
E, por assim ser
Eu te mando uns pé no canto das zoreia
E te faço catar coquinho lá no espaço sideral
Com dois reais te boto na realidade
E com um te tiro dela
Não há quem aguente uma sucessão de detalhes infelizes
Tem coisa que eu num curto
Eu também tenho esse direito
Não me leve a mal
Num tô afim de te botar na ilegalidade
Só num quero que ocê me atormente
Com essa sede de racionalidade


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

na fazenda é bom ..





Nem parece que eu já morei aqui ... sinto tanta falta de tudo que completa a vida na roça. A ausência de complexidade, de vaidade, tranquilidade danada, e, principalmente, nada - ou quase nada - de egoísmo!
Levantar de madrugada, subir o morro do arrependido só pra pegar o abacatão e ir estudar na cidade .. Bom, às vezes a gente enfrentava era aquela kombi véia com aquela porta que caía sempre e mais um pouco (não era mole, não!) Ocê abria a porta pra sair do automóvel e a danada vinha junto, saía do trilho!! Mas como era divertido!!
Daí eu chegava em casa toda pintada com aquela poeira que eu nem percebia, cumprimentava aquele monte de bicho que tava no meu caminho (nastrô magário, fofuxa, spike, bidu, marie, frank aguiar, cherie, floquinho e mais uma renca...) entrava pela área do fogão à lenha, sentia aquele cheirinho de comida da roça e ia logo comer! Comia pra dedéu, comia de véu e grinalda!!!! Meu Deus, como era gostoso viver na roça!
Depois do almoço eu nem pensava em dormir. Lá eu não era preguiçosa. Eu me metia no meio do mato junto com aquela bicharada e montava minha casinha entre uma árvore e outra. Inclusive construí uma humilde residência num amontoado de mato que ficava bem defronte da casa oficial. Era chique o trem! Eu tinha até um celular da novela, só que ele era um pedaço de toco que tava jogado no meio do tudo! Tinha uns banquinhos de madeira improvisados, uma caixa de queijo virada pra baixo servindo como mesinha e vamo que vamo! Ah, pra nao marcar bobeira, a gente pendurava também uma nos galhos pra mió servir às galinhas chocadeiras. Vez ou outra aparecia uns ovos pra recolher. Pegava o que tinha ali, deixando, claro, sempre um .. assim mandava a lei!
Era muito legal sair caçando ovo no meio das moitas. Os zóio até briava quando eu via aquele monte de ovo escondidim em cada lugar que oceis nem imagina!! E quando eu achava uns 12, 13, 14 de uma vez!!! Que me perdoem, mas eu não tinha dó! Chacoalhava pra ver se num tava chocando e, caso não tivesse mesmo, botava tudo dentro da camisa e saía correndo pra mostrar o tesouro. Com certeza dali sairia um belo dum bolo ou uma danada remessa de pão de queijo, tudo preparado pela mamãe!
Quando apontava 18h tinha que fechar as janelas porque senão vinha aquele monte de morcego querendo abrigo dentro de casa. Mas era uma luta!!! O duro era quando juntava aqueles bichim das lâmpida! Meu deus!!!! Eles se enfiavam dentro de casa e não saíam de jeito nenhum .. e quem disse que a janela podia ficar aberta? Se abrisse entrava tudo que era bicho pra dentro de casa! Danado!! Daí ficávamos lá naquela cozinha gigantesca contando causos ... causos .... causos .... a gente ria era de felicidade.
Campaínha? Carecia não ... Lá do alto do morro a gente enxergava todo mundo que tava descendo lá pras terras. Quando as férias chegavam os parente que viviam em sumpaulo (cidade com semáforo) ia tudo lá ver a gente! O ver era a certeza. Era uma farra doida.
Uma vez a primaiada danou de fazer bolos de lama lá num chão cimentado que ficava nas redondezas de casa. Pensa na zona!!!! Caiu tudo no chão depois! Foi legal aquele dia.
Sem falar de quando a gente pegava aquela bicicletinha nadavê do Peron e descíamos sem freio naquele tenebroso "buraco da morte". Tinham também aquelas vezes em que a gente catava - de novo - a caixa de queijo ou um papelão qualquer e descíamos no nosso escorregador de areia, este sendo fruto duma construção que teve por lá.
Era cada tombo doido ...
Voltávamos tudo encardido pra dentro de casa. Aquelas laje tudo suja!!! Camisa um horror, mamãe sofria!

Eu tenho muitas memórias legais desse tempo em que vivi lá na roça! Eu acho que todos deveriam viver pelo menos uma vez na vida num lugar como esse ... Conhecer de pertim o nome que se dá a um monte de trem que hoje em dia a gente nem sabe ondé que foi parar ...

Hoje morando aqui nessa cidade grande, cheia de carro, de gente, de semáforo, duns trem doido, eu tô quase me convencendo de que descobrir um mundo maior às vezes é muito perigoso .. quando a gente se vê, já foi quase tudo! daí fica sobrando aquele nada que soma com nada e que junta com mais um tiquim de nada que tava ali escondido no canto da nossa saúde.
Aqui às vezes me decepciona ... a gente vê uma corrosão de personalidade muito triste, algo que desanima de verdade!
Eu espero, sinceramente, nunca perder todas essas lembranças que revelam parte da minha essência. Desejo profundamente que o egoísmo passe longe de nós e, caso ele já teja aí, torço pra que ele dê meia volta e suma, vá lá pros cafundó de judas! O individualismo é feio e me deixa com uma cara mais horrorosa ainda! Some com esse trem de perto de mim!

domingo, 4 de novembro de 2012

final de semana longo


Migração invertida
Sonhos invertidos
Tudo invertido
E eu tô precisando descansar ....
Tô cansada

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

tropicália


"Quando Pero Vaz Caminha descobriu que as terras brasileiras eram férteis e verdejantes, escreveu uma carta ao rei: 'Tudo que nela se planta, tudo cresce e floresce.' E o Gauss da época gravou.

Sobre a cabeça os aviões
Sob os meus pés os caminhões
Aponta contra os chapadões meu nariz
Eu organizo o movimento
Eu oriento o carnaval
Eu inauguro o monumento no planalto central do país

Viva a bossa, sa, sa
Viva a palhoça, ça, ça, ça, ça
Viva a bossa, sa, sa
Viva a palhoça, ça, ça, ça, ça

O monumento é de papel crepom e prata
Os olhos verdes da mulata
A cabeleira esconde
Atrás da verde mata
O luar do sertão

O monumento não tem porta
A entrada é uma rua antiga
Estreita e torta
E no joelho uma criança
Sorridente, feia e morta
Estende a mão

Viva a mata, ta, ta
Viva a mulata, ta, ta, ta, ta
Viva a mata, ta, ta
Viva a mulata, ta, ta, ta, ta

No pátio interno há uma piscina
Com água azul de Amaralina
Coqueiro, brisa e fala nordestina
E faróis
Na mão direita tem uma roseira
Autenticando eterna primavera
E no jardim os urubus passeiam
A tarde inteira entre os girassóis

Viva a Maria, ia ia
Viva a Bahia, ia, ia, ia, ia
Viva a Maria, ia, ia
Viva a Bahia, ia, ia, ia, ia

No pulso esquerdo o bang bang
Em suas veias corre
Muito pouco sangue
Mas seu coração 
Balança um samba de tamborim

Emite acordes dissonantes
Pelos cinco mil alto-falantes
Senhoras e senhoras
Eles põe os olhos grandes
Sobre mim

Vira Iracema, ma, ma
Vira Ipanema, ma, ma, ma, ma
Vira Iracema, ma, ma
Viva Ipanema, ma, ma, ma, ma

Domingo é o fino da bossa
Segunda-feira está na fossa
Terça-feira vai à roça
Porém

O monumento é bem moderno
Não disse nada do modelo do meu terno
Que tudo mais vá pro inferno
Meu bem

Viva a banda, da, da
Carmem Miranda, da, da, da, da
Viva a banda, da, da
Carmem Miranda, da, da, da, da"




uma prosa curiosa



Queria bater um papo com vocês. Deixar de lado os puêma só até mandar pra fora o que tô sentindo.
O que tá se passando aqui é algo que tem mexido demais comigo! Tô desde o começo da semana só matutando em cima duns sonhos que venho tendo. Em sua maioria, todos integram uma coincidência perturbadora e isso me faz acreditar ainda mais neles!!!!
Sonhei, primeiro, que eu ia viajar pra Minas no carro do Mrs.Galba e que eu sabia que ia morrer na viagem;
Sonhei que meu quarto tinha pegado fogo e que a primeira coisa que eu fiz foi prender o cabelo pra ele não pegar fogo (tá, isso foi engraçado);
Sonhei que eu estava, novamente, no carro do Mrs. Galba e que o danado do automóvel começou a pegar fogo, sofri queimaduras e não fui pra escola!
E, para completar, na quarta-feira peguei o jornal do metrô, fui no meu horóscopo e me deparei com o alerta:"Tome cuidado com perigos de acidentes provocados por produtos inflamáveis"
Hoje vou pra um sítio, no carro do Mrs.Galba, e temo pelo pior.
Eu realmente estou com medo dessa sucessão de sonhos, todas envolvem carro e acidente .. mas tenho fé de que tudo não passa de pura e mera coincidência, assim como tantas outras que passam e que passarão pelas nossas vidas.

Eu tenho medo de morrer, tenho medo porque sei o que a morte representa pras pessoas que me querem bem. Ah, temo também porque eu curto pra dedéu viver!!!

Hoje é dia de finados e eu nem me lembrava disso!
Este ano perdi uma pessoa que era muito querida por mim e por todos. Talvez ele nem soubesse o quanto era especial pra mim, mas isso é irrelevante no momento!
Sonhei com ele justo hoje!!!!! Foi um sonho bonito, o que me deixa menos preocupada, mas também tratou-se de um sonho que me deixou intrigada.
O danado que foi pro céu mais cedo tava segurando uma criança, não sei quem era o bebe ... mas conheço uma menina que era muito amiga dele e que agora está grávida! Eu pensei:"Será que ele vai reencarnar no bebe que vai nascer?"
Gente, não me culpem, mas eu gosto de interpretar os meus sonhos .. e eu, mesmo sendo completamente leiga nesse esquema mais espiritual e tal, acredito de uma forma instintiva nisso de voltar à terra em outro corpo, outra mente, outra vida!!
Eu acho que ele está bem lá no céu. Ele estava sorrindo, entre os amigos dele, todo baixinho!! Do jeito que ele realmente se expressava cá entre os vivos!
Será?

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

risada enciclopédica




é que é assim
quando ocê arma de assubiá
e tem como pretensão a tristeza
cê tem que tá sozinho
é!! tô te falando
sozim de tudo e de todos
clandestino das ideia!!
veja só o bocejo
se tem alguém nas proximidades
te afeta que nem a tal das tpm que dá nas mulé
ó lá ocê bocejando feito tolo, muleque!
fechéssa boca, sô!
mas como cê é influenciável eim!!!
bom ...
mas voltando à imitação passarística
dizem que assobiá é até te teraupeutico
e tem lá suas enciclóplédia de razão
se ocê dana de chorar na frente dos outros
chora
chora
e olha, desanime não
mas vai continuar chorando, viu?
agora se ocê mandar aquele assobio
e tiver gente do seu lado
ocê vai começar a rir
ô risada enciclopédica!
faz aquele biquinho de quem quer voar
e gargalha feito hiena
animalesco

para bom sorrisinho
meia assobiada acompanhada basta

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

só sei que às vezes sou meio perigosa



Juntei um monte de semente
Peguei as agulhas do palheiro
Separei uns chiliques
E atirei tudo denduma panela
Imagina só se não mandei se catar!
Sal a gosto
Sal agosto
Sal que vem antes de setembro
Ondé que vende isso?
Há de ser dos prestoso
E eu tô precisando duns telécutéco bem aventurado ...
Olha, num é que eu teja meio na horizontal e tal
É que tô constante demais pro meu querer
Acho que um foguinho na bunda do que me faz perder tempo
É a urucubaca que vai me fazer crescer
Bom
Xô arrumar minhas malas
Meu destino são as nuvi!!
Elas que tão lá quando ocê aponta os ói pra cima
Às vezes elas rodam
E às vezes elas ficam no lugar mesmo
Depende do seu estado de espirro
Digo, er ...
Espírito 
Mas isso é muito relativo tamém!!!




sábado, 20 de outubro de 2012

não sou nada democrática: pra mim, só felicidade deve ser divulgada

 
 
gente deprê não me deixa deprê
gente feliz me deixa feliz
gente chata não me deixa chata
gente legal me deixa legal
gente invejosa não me deixa invejosa
gente tranquila me deixa tranquila
gente egoísta não me deixa egoísta
gente sussa na montanha russa me deixa sussa na montanha russa
gente arrumada não me deixa arrumada
gente bagunçada me deixa bagunçada
gente normal não me deixa normal
gente lelé da cuca me deixa lelé da cuca
gente indignada não me deixa indignada
gente morta não me deixa morta
gente viva me deixa viva
 
mas pera aí!
onde eu vou enfiar esse tanto de gente???
 
nuvens despenteadas, cãme rrir!!!
os meteoros que não vou assistir nessa madrugada
que caiam todos em cima da cabeça de quem não quer nada com nada
que faça um booooooom (pirintrotszump zoo!!!) do tamanho do planeta
e leve essas cabeças infelizes pra tomar um banho, vá
 
cabeça suja
mente suja
gente suja
epa, ta-di-nho dos porcos!!!!!
 
mas ainda há esperanças
pera só voltar do banho
ocê vai ver!
a cabeça vai virar sorriso
óia lá um monte de dente bem intencionado saindo da sua cabeça!!!
 
e você ainda acredita na sua infelicidade!!
cansei das suas aventuras
dessa sua florestinha negra
olha o morcego (brrr, caguei de medo)
sombrio demais pro meu gosto
altamente desproporcional
 
e ainda querem que eu os leve a sério
até parece que não sabem que piada pra gente séria é veneno
 
não sou nada democrática:
pra mim, só felicidade deve ser divulgada!
 



mocinha talentosa!!

 
bi bi bi
disse a buzina Bi atriz

dom quixote


A vida é um moinho
É um sonho o caminho
É do Sancho, o Quixote
Chupando chiclete
O Sancho tem chance
E a chance é o chicote
É o vento e a morte
Mascando o Quixote
Chicote no Sancho
Moinho sem vinho
Não corra, me puxe
Meu vinho, meu crush
Que triste caminho
Sem Sancho ou Quixote
Sua chance em chicote
Sua vida na morte
Vem devagar
Dia há de chegar
E a vida há de parar
Para o Sancho descer
E os jornais todos a anunciar
Dulcinéia que vai se casar
Vê, vê que tudo mudou
Vê, o comércio fechou
Vê e o menino morreu
E os jornais todos a anunciar
Armadura e espada a rifar
Dom Quixote cantar na TV
Vai cantar pra subir


Os mutantes

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

sou ainda mais feliz quando me deixam ser feliz!


A gente até que gosta de brincar
A vida sem brincadeira
Não passa de uma cadeira
Sem tombos
Puns
Pesadas
E de ai meu dedinho mindinho!!
Qual a graça de ser nada?

Por isso que eu gosto de brincar com você
Mostrar pro sorriso o tudo que nos envolve
E o inexistente nada que nos atormenta

Ser ou não ser, não é a questão
A gente só é e pronto
E é por isso que a gente brinca
Porque brincadeira não tem hora
Não tem lugar
Não tem vaidade

Qual a necessidade de enrolar a felicidade?
Sorriso embolado é sorriso que não quer sair
É sorriso prestes a cair numa lixeira
E esse tá longe de ser o nosso nada complicado caso

Então
Vamos brincar no infinitivo e no gerúndio
Misturar na gente uma eterna ingenuidade
Se preocupar um tiquim de nada com a realidade
Deixar de lado todas as revoluções que geram preocupações
E insistir na infantilidade 
Até que as onomatopeias nos invadam

Oinc oinc oinc
Cocoricóóóóóóóóóóóó´
Bééééééééééééééééé
Múúúúúúúúúúuú

Sou feliz
E agora?



quarta-feira, 17 de outubro de 2012

obrigada


Cheguei toda chique lá no céu
Chique por fora
Chiqueiro por dentro
Do jeitinho que o nada gosta
Sou o orgulho do nada
O nada do nada
- de nada!!

E ainda agradeço!!



domingo, 7 de outubro de 2012

feliz aniversário!!!!


O dia amanheceu bonito
Seja na presença
Ou na falta do que foi e não voltou ...
Acordou certinho
Com o tudo abandonado 
Tudo pra fazer
Tudo pra pensar
Tudo pra resolver
Tudo tudo tudo tudo tudo tudo tudo
O que é o tudo numa hora dessas?!
O que é esse tudo perto dum domingo
Que levanta
Sacode 
E retoma lembranças?

O dia amanheceu bonito
Cumprindo com o gosto dos presentes
E dos ausentes ...
Perto do tudo, do nada e do meio termo
Eu prefiro pegar um tempo 
Pra pensar no nada que te faz tudo nesse meio soci.all
As estrelas te pegam pelo braço
A lua oferece amostra grátis de queijinho
Você senta na poltrona invisível
E assiste ao espetáculo mais cobiçado entre os curiosos
Uma vida aqui
Outra vida ali
Óia outra passando lá
Conhecendo o que tá por fora 
E o que tá por dentro
O que se esconde
O que se entrega

Mas o dia amanheceu bonito
E hoje é especial
Se arrume daquele jeitim
Não precisa aparecer
Faça jus a sua existente timidez
E vamos unir
Antíteses
Paradoxos
Controvérsias 
E um pedaço que vai do Céu a Terra

Que Céu!
E que Terra!
Hoje vai ser uma viagem legal 
Não há razão que não se abalará
O que vai ter de racional virando lunático
Um cérebro passeando pelas nuvens
Nuvens brincando com a seriedade alheia
E é tudo culpa sua!!
Por isso
Muito obrigada por hoje ser o seu dia
Buniteza ...



sexta-feira, 5 de outubro de 2012

obrigada, eleições






Hoje eu tô envocada
Fiz tudo o que eu queria e ainda mais um tiquirindum.
É que com as eleições eu não tive aula hoje! E por conta dum passeio escolar, segunda não me faço presente.
Vida mansa?
Cê que pensa
Tô com cara de quem não faz nada?


terça-feira, 2 de outubro de 2012

mirando na certeza


Mas uma coisa é certa
Fique em paz, menina roliça
Que hoje a garantia só tá no papel


*ultrapassada* exista-se */ultrapassada*


Você que vive de se confundir
Vive pra se confundir
E ainda acha graça na confusão dos outros
Você que engole a sede e fome de se ter
Mas não sabe onde é que vai parar tudo que enfia nessa boca!
(Escafedeu-se todinha? Foi ao beleléu e nunca mais voltou?)
Onde é que tá todo seu conteúdo, Regina?
Cade seus fatos, Marcos?
Dondocê enfiou sua essência?
Me explica!
Se exista!
Se puxe e repuxe!
Só não se esqueça
Que em Terra de moda
Quem usa "se" após o verbo é ultrapassado!!
Tô te falando
Se assim eu já sou desse jeito
Imagina de outro jeito de que jeito eu seria

É
O mundo tá muito dimudado ..


domingo, 30 de setembro de 2012

eu deveria



Oi gente, ontem foi o meu aniversário =-)
Fiz 17 anos de idade e passei por um dia bem tranquilo
Delícia!
Mas hoje foi muito, muito, muito mais bonito!!!

Eu deveria ter lido detalhes sobre o fascismo. Sim, eu deveria!
Mas assim não o fiz, assim não o farei! Não hoje ...
Tenho motivos para explicar essa minha ousadia, essa minha indisciplina fora de hora! E é motivo dos bão, motivo singular, delicinha!
Tudo começou quando eu acordei! E foi aí que eu senti o dia .. perigoso! Sim, é perigoso! Mas pode ser muito interessante!
Esse solzim na medida de domingo, o passeio dispensando grandes retoques (as folhas cooperando, valeu!), dei uma regadinha ali, outra aqui, arranquei uns matim desnecessários e passei pra dentro.
Comi aquela comidinha toda interessada em me engordar e foi depois disso que a situação ficou grave!
Subi pro meu quarto, fui naquela área que poucos conhecem e me deitei no chão geladim. Tudo a favor acontecendo! Solzim de menos, vento sobrando zum zum zum zum zum zummmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm e eu pirando na minha vida!
Me coloquei e me situei enquanto moradora da maior cidade do brasil, lembrei dos meus tempos de roça e fiquei doidinha, fiquei doidinha na minha vida ( de novo, de novo e de novo!!!!!!!!)
E daí olhei aquele livro e pensei:"nãaaaaaaaaaaaao!! hoje nada pode estragar o meu dia, por favor, Luiza, por favor, se permita!!!"
E foi assim que eu fiquei li-gei-ri-nha nas minhas vontades! Amanhã é segunda-feira e é nela que eu volto a me preocupar (como fora dito a alguns poemas atrás). Seria desumano estragar isso tudo .... seria! Seria sim!

Lindo dia!
Beijokas

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

para Lennon e McCartney



"Por que vocês não sabem do lixo ocidental?
Não precisam mais temer
Não precisam da solidão
Todo dia é dia de viver

Por que você não verá meu lado ocidental?
Não precisa medo, não
Não precisa da timidez
Todo dia é dia de viver

Eu sou da América do Sul
Eu sei, vocês não vão saber
Mas agora eu sou cowboy
Sou do ouro, eu sou vocês
Sou do mundo, sou Minas Gerais"

Milton Nascimento




polemizando as igualdades


Bá com bá é igual a béééééééééééééééé!!!!!!!!!!
Carneirim, volta pro chiqueiro, prova que a diversidade existe e que quem a compreende vai ao céu!


muleta de minha felicidade


Eu tive muito tempo pra chegar
E tive o dobro pra falar
Num quero, num quero, num quero!
E qué sabê? Num queria mesmo não
Nunca quis ...
Só que a folha vem vindo
O relógio roda
O cisco entra no meu olho
O graveto no meu dedo
A pedra no meu sapato
O erro aparece no cálculo
(E é aí que o passo a mais da vírgula confirma meu inferno astral)
Ventania descortinada!
Tem nem graça
Tem nem os pano pra balançar
Mas se é pra me afetar
Que arrume meu cabelo, ora essa!
Bole outro jeito
Até mesmo porque a ausência cansa meus telecutéco
Eu gosto das baderna
Principalmente das que não te diz respeito
Deixa eu viver do meu jeito
Que de tapete morreu a minha preocupação

Que saudade de você
Meu saci pererê!!


tempos de frescura

(vai cagar! fecha a luz e apaga a porta!!)

Tá tudo fresquinho
Os pão da padaria
As fofocas das menina
Os peixe na vitrine
Os sonho de ontem
As água da bica
Suas manias
O tempo que me sacode
O filho da vizinha
É
Tá tudo fresquinho


quarta-feira, 26 de setembro de 2012

alumia cá primeiro


Gira pra cá
Gira pra lá
Gira com a dança
Gira com o vento

Reclama da falta de iluminação urbana
Mas tá toda escura por dentro
E tá toda perdida
Tá toda assaltada
Tá toda sequestrada
À mercê da própria violência

Toc toc toc
Onde é mesmo que mora o perigo?


e se você não se aguentar?


Nunca foi
Porque nunca fui
E nunca será
Porque nunca serei

Por que?!
Por que nunca?

Será que errei?
Será que sou?
Será que sei?


sábado, 22 de setembro de 2012

estar


E eu não estava aqui pra nada disso
Não estava pro nada que há nisso

E então me deixei levar
Pelo tudo que há no estar


sexta-feira, 14 de setembro de 2012

tem que ser sincera, né


Me falaram duma tal de politica
Não liguei porque não sou dessas coisas
E só pra começo de conversa
Nem de telefone eu gosto
E eu só como
O que os meus olhos escutam



e isso acaba com meu sossego


Uso óculos
E isso acaba com meu sossego
Tem coisa que a gente não pode enxergar
Não que seja proibido
Mas é que de preocupada
Já basta a minha segunda-feira
É ela quem me coloca por dentro de tudo
E isso acaba com meu sossego
Tem coisa que a gente não pode enxergar
Não que seja proibido
Mas é que de preocupante
Já basta a minha rotina
Tendendo a cada novo dia
Ser a mesma repetição
Do texto que vos fala
E isso acaba com meu sossego!!





quinta-feira, 13 de setembro de 2012

desculpinha esfarrapada!


Ego, foco!
Não me decepcione desse jeito!!
Já tava se bandiando pr'outro lado
Eu bem que percebi!!
Onde já se viu
Pensar no próximo
Que decepção
Isso é tão anti-eu!!

Preciso de amor
Por isso que eu me amo tanto
E só 

mistura de sensações


Opa!!
Bão?
Hoje entrou uma pedra no meu sapato
Toda danada pra me fazer requebrar
Comecei a andar diferente
Como quem  algo dali quisesse tirar

Mas desisti!
Isso é coisa de momento
Pedra não se tira
Ou ela sai sozinha
Ou você se acostuma com sua presença

O que é uma pedra 
Pra um pateta
Não é uma letra
Pra um poeta

Por isso que eu gosto de ser maracujá
Mas fico pé da vida quando me trazem só o que eu peço!!!!!!


depois das maria chuteira, maria gasolina e maria palheta, apresento-lhes à maria naturéba!!


Achei aquele cara largado nos trinques do jeito
Tem um estilo largadão
Meio abandonado no cabelo

Fiquei interessada
Bolei planos
Boiei no burocrático
E parti pra falta de democracia do meu coração

Todo ecológico
Cheio de me toques
É um tal de sentir
Sentir
Sentir...

Daí decidi me vestir de árvore!!
Será que ele se apega?

Vou te contar
Sou tudo
Menos sustentável!


terça-feira, 4 de setembro de 2012

chutando a bunda do mês de agosto como se eu fosse uma pessoa levemente revoltada


Hoje o dia pode virar noite
O sol pode virar chuva
O sossego pode virar vento
E o agosto ...
O agosto pode virar setembro

Um setembro que é
Dia
Noite
Sol
Chuva
Sossego
Vento

Mas que não será agosto!!!

E só por não ser agosto - aquele agosto!! - eu já viro primavera





sábado, 1 de setembro de 2012

vou enlouquecer!!



Primeiro de setembro!
Muita gente sabe que eu curto de véu e grinalda este mês danadinho .. todo cheio de telecutécos alegres e serelépes

Porém
porém
porém!!!

QUANTA COISA PRA FAZER!
eu vou ficar doida ...

='(
dai-me paciência e muita competência


sexta-feira, 31 de agosto de 2012

falta não me faz!!


Desviando das borboletas no jardim
desviando das borboletas do estomago
Querendo bem aos passos da tartaruga
pois é ela quem chega antes tarde do que nunca ..

Mais tartaruga que a minha pressa
Só a lesma do meu raciocínio

E isso
É o tipo de coisa que falta não me faz


domingo, 26 de agosto de 2012

matematicalizando os encantos


subindo, indo e sumindo pelo céu como se fossem pedacinhos de sonhos.
muito além de qualquer fio, frio ou frescura
apenas a soma do que somos


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

não adianta fugir




Linhas no chão que ventam na orelha da consciência

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

então eu não fico com o então




Então
Justo o então!!
Como se fosse entendido de alguma coisa ...
Num é nada não!
O então é apenas
O então
- Oe!!
N'tão ...
Quer dar umas voltas por aí?
- Então ...

(Já vi que não)

Por isso que eu não fico com o então
Ele é tão apenas!!