quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

bastarde



video

Falta pouco tempo preu ter uma resposta ...
Vou viajar

Falou.

Zuba


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

estrelada




"És menina do astro sol, és rainha do mundo mar, teu luzeiro me faz cantar ... Terra, Terra, és tão estrelada!
O teu manto azul comanda, respirar toda a criação, e depois que a chuva molha arco-iris vem coroar. A floresta é teu vestido e as nuvens o teu colar, és tão linda, oh minha Terra, consagrada em teu girar.
Navegante das solidões no espaço a nos levar, nave-mãe e o nosso lar, Terra, Terra, és tão delicada!
Os teus homens não têm juízo, esqueceram tão grande amor. Ofereces os teus tesouros, mas ninguém dá o teu valor. 
Terra, Terra, eu sou teu filho, como as plantas e os animais. Só ao teu chão eu me entrego, com amor firmo tua paz."







segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

100 si.



Compreender a dimensão do que é realmente valioso em nossas vidas é um processo que envolve muito de nós e apenas uma pequena fração dos outros. Isso ocorre porque existe um mundo individual que habita o nosso corpo, um universo que parte da nossa cuca, passa pelas nossas mãos e segue viagem até os nossos pés, estabelecendo, dessa forma, um caminho repleto de sensações e de pensamentos, todos com suas respectivas importâncias.
Valorizar cada centímetro do que nos constitui é abrir as portas pra uma espécie de aceitação que vai muito além daquela situação onde você se posiciona, por exemplo, contra uma tendência que é apresentada na sociedade. A aceitação a que me refiro está muito mais ligada, primeiro, ao reconhecer-se enquanto um ser humanamente profundo em todas as suas decisões. 
O mundo que sustentamos em nosso corpo é de nossa inteira responsabilidade, cabe a nós molda-lo de acordo com as nossas pretensões. Se te agrada um mundo divertido, busque a diversão; um mundo honesto, seja a honestidade; caótico, seja o caos. Faça da sua vida o seu universo e queira compartilhar tudo o que de bom você constrói no seu corpo. Espalhar a matéria viva é o clichê que sustenta as relações intra e interespecíficas. 
Seja a sua própria existência e evite calar o que te constrói.
No fundo, todos nós fazemos falta.



sábado, 25 de janeiro de 2014

a graça do ócio



video

Uma brincadeira antiga:

"My name is Luiza Ribeiro da Silva
Nasci numa cidade chamada Guarda-Mor
Onde as galinhas corcorejam
Pó Poró
PÓ!!"

Durante esses meus dias de férias estou curtindo bastante. Honestamente não estou com nem um pinguinho de inspiração para dar vida ao lirismo.  Essa pausa na criatividade faz parte e é bem importante.
Estou aproveitando a folga para sair ir em busca de novas amizades e etc. Cada dia passa a ser uma novidade divertida.
Falta pouco tempo para eu descobrir qual rumo minha vida vai tomar. Estou um pouquinho ansiosa, mas prefiro não pensar muito nisso. Mudanças são muito complicadas ... gosto quando elas acontecem no calor do momento, pensar as coisas não é uma boa ideia para mim, definitivamente.
(Sim, e eu sou de libra!)

Surpresas
sus presas

O que será que está por vir ...
Inté!



quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

canto para a minha morte




"Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar

Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça?

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo ,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida.
Existem tantas... Um acidente de carro.
O coração que se recusa a bater no próximo minuto,
A anestesia mal aplicada,
A vida mal vivida, a ferida mal curada, a dor já envelhecida
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
Um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio...

Oh morte, tu que és tão forte,
Que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu
Porque eu continuarei neste homem,
Nos meus filhos, na palavra rude
Que eu disse para alguém que não gostava
E até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite...

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida."




sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

trotada



video

Esta sou eu na Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) após ser matriculada no curso que escolhi.
Foi um dia muito legal, estou muito contente!
A partir dessas conclusões, decidi fazer este vídeo para registrar o meu estado e, claro, o momento - que é muito especial!

Mais um pontim da minha vida no meu canto do cisco

Inté!

Zuba



quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

des-afiar





num duvida que eu dô vida!


sábado, 11 de janeiro de 2014

sensibilidade





Quando a gente decide que a felicidade há de ser a lei, deixamos pra depois algumas verdades que nem são tão verdades assim. A alegria é um bem que completa a nossa vida com uma substância capaz de atrair várias outras que são tão ou até mais essenciais em nosso ser. Esse contínuo preencher é uma chance que oferecemos à nossa existência. Uma chance que é capaz de guia-la (nossa existência) para um caminho mais sincero, amigo e saudável.
Viver em paz consigo mesmo pressupõe ter consciência de que somos alunos do espaço e que, por isso, estamos vulneráveis a erros, acertos, sustos, perspectivas e mais uma infinidade de situações que tendem a modelar o nosso eu, ainda que momentaneamente. Ser sensível ao aprendizado é o que a nossa natureza humana realmente espera de nós. 


terça-feira, 7 de janeiro de 2014

F.É.R.I.A.S





Ola! Boa noite a todos vocês .. Estou oficialmente de férias!
Termino aqui um ano pesadíssimo de informações. Muito peso na cuca, muita pressão, muito isso e muito aquilo, mas valeu a pena! aprendi coisas extremamente legais sobre o mundo, sobre o Brasil, sobre o corpo humano, a línguagem, etc, etc, etc.

Agora quero relaxar um tiquinho, fazer o que adiei e entrar em contato com esse ano especial que está só começando .. quero conhece-lo bem, analisar o meu terreno interior e ver que que dá pra sair disso aí!! Coisa muito boa está por vir.

Gostaria de deixar registrado neste post a minha felicidade por ter tirado 980,00 na minha redação do enem!!!  Ufa ...

Bó!!!



segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

num duvida


Opa!!

Agora vai

ZUBA