quarta-feira, 27 de novembro de 2013

fobus in totum




Pisando o som da era total
Acampando no espaço sideral
Lendo em vistas de super-man
Só os astral

Loucos
Na batida do som
Loucos
Talvez fora do tom
Apesar disso nós te amamos, Liu

Vendo a fumaça subir 

(...)


cabeça baixo baixo cabeça de


video


Bu

a noite! 



breve descanso



Puxar um breve descanso pra encarar o que está por vir!

Sem peso na cuca, Zuba!!

Otima semana ..



sábado, 23 de novembro de 2013

do resto cuida ...




Menina da preula,

hoje você decidiu apagar o passado de seu guarda-roupa. Aqueles risquinhos de outrora não te representavam mais e eu juro que te entendo. Por isso, pegou o alcool, o pano e o banco e saiu por aí a excluir um momento qualquer de alegria. Traços mudam, os olhos, ao assumirem a vida, se responsabilizam por uma caça constante de momentos. Isso não me preocupa! A confiança que tenho em sua felicidade me permite respirar aliviada. Suas mãos não seriam capazes de eliminar de forma tão cruel o sorriso e o bem-estar, seja qual fosse o seu tempo. Sei que de onde se tira, entra ainda mais. Não tarda! Esse é o substrato de seu conhecimento, o saber do riso somatório que tanto prezo. Riso tímido que devolve ao planeta a intensa simplicidade. Que gostoso é o simples, quero morar e morrer nas raizes dessa árvore.
Boa virada! Boa pedida! Boa birilóba!
Espero que você não se acostume com o viver. Eu sei que às vezes parece que tá pegando a manha, mas não se deixe enganar. A gente muda e às vezes repensar algumas atitudes é um exercício que vale a pena ser vivido. Se adaptar não é dar o braço a torcer, é querer tentar ser o melhor em todas as vírgulas que passam pela nossa história. Por favor, pense nisso!

Obs.: Fiquei sabendo que jogaram uma macumba na esquina da sua casa. Olha, não precisa dar margem ao arrepio. Preocupe-se com outras coisas que do resto cuida as bactérias!

Vai na vida! Confia.

                                                                                                      Eu.


sexta-feira, 22 de novembro de 2013

viagens na minha terra



"Imaginar é sonhar: dorme e repousa a vida no entretanto; 
sentir é viver ativamente: cansa-a e consome-a"

terça-feira, 19 de novembro de 2013

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

paradoxo do tempo




Esta é uma mensagem para Luiza.

Luzuba
Doida nem tanto.
Coordenação num é coração
Isso é engano
O tumtum não é martelo
 Quem martela é o tempo
O tempo que tique taca
Te entrega nas oreia
Apenas um compasso que te diverte
Se aqui é tic
Aqui será tac
Tic?
Tac!
E aqui acaba a certeza.


tátáté





tá tá tá tá tá tá tá tá tátátá tá tá tá tá tá-tá-tá tá tá tá tátátá tá-tá-tá
tá tá tá tá
tátátá
tá-tá-tá
tátátá
tátátá


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

dois ni um



rio da felicidade
o líquido e o estampado

Zuba

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

plano luízistico




Um dia eu decidi que seria Luiza. Prazer, Luiza. Eu sou a Luiza, registro diário dum registro primeiro. O encontro de duas células que viraram haploides depois de um processo meiótico de divisão celular.
Eu precisava ser Luiza e era por questão de fidelidade. Cumprir a vida é cumprimenta-la em todos os seus momentos. É dar um abraço apertado em tudo o que nos move, seja pra frente ou pra trás, pra leste ou pra oeste. Abraçar .. sentir o cheirinho das novidades, beija-las em suas inesqueciveisdades. Serei para sempre uma memória feliz de mim mesma! Esse é meu plano luizístico.

brincadeirinha de segunda-feira acompanhada duma breve observação



num dá porque num deu, num fá porque num feu, num lá porque num leu e num sá porque num seu. num iá porque num ieu, num má porque num meu, num pá porque num peu, num tá porque num teu, num vá porque num veu .........




Hoje me dei conta de que estou perdendo as coisas com muita facilidade. Já fui mais organizada ..

BOA NOITE!


domingo, 3 de novembro de 2013

o menino e o mar



"Eu vi as ondas brincando de pega-pega
Levar as águas do riacho cristalino
Eu vi menino vir brincar no mar
Ô mar, vem lavar pé de menino

Menino, vem brincar no mar
Ô, mar, vem lavar pé de menino

As gaivotas vão fazendo suas rondas
O sol levanta
O vento leste me incendeia
No chão da praia vou guardar a minha arraia
E construir o seu castelo de areia

Menino, vem brincar no mar
Ô, mar, vem lavar pé de menino ..."

O menino e o mar - João Bá