sábado, 28 de abril de 2018

os escritos dos ultimos meses .. ((alguns))




oceis tambem num acha engraçado uns trem que dá no zói da gente?
oto dia eu tava na maió das correria, tentando inda entender comé que cobra vira homi e tic vira tac, quando oiei pra frente e vi um tipo de amor acontecer ..
na hora eu achei um trem mei diferente, achei tão bão que num dei nem mistério pro riso. eu ri memo ..
foi lá nos suspendido da estação da luz nos pontual das seis da tarde.
tava tudo tão chei ..
as cabeça tava tão colorida, as camisa tudo informada, os cheiro tudo encontrado .. tava tudo vivo naquela morte do nada.
era tudo .. tudo. tava nos pronto pa acontecer.
daí a muié trupicou no homi e o homi oiou pra muié.
mas aí ele oiô de novo porque os aviso é tudo fisiológico ..
a muié seguiu seu camim e o homi começou a correr no passo. eu comecei a correr junto porque novela é um trem que nois já conhece.
e o homi oiava, corria, corria, oiava ..
num sabia se o pé cabia no zói ou se o zói fazia as filmage do pé.
tava todo atrapaiado nas intenção do amor ..
driblava gente dum jeito que só podia ser brasileiro. levou a serio o trem da esquerda livre e desceu os rolo da escada mai enrolado que rolante.
fez os possivel caber nos assalto do coração ..
mas aí o sinal apitou, a muié entrou e a porta fechou.
e eu fiquei ali oiando com meu zói chei de problema e tentando entender ondé que mora afinal a teoria das emoção .. esse trem tem teto?


_____________________________________________________


as companhia das minha letra nunca me abandona.
oto dia era umas oito da noite e decidi apagar a luz pra fazer escuro no escuro .. o que notas palavra significa dobrar o mesmo. achei bonito perceber como tem umas redundância que combina diferente no coraçao da gente.
às vez é só dano mais do memo que nois percebe os sussurro de dento.
num dá pa negar que nois é fã dos intenso. exagero de dois é um inteiro..
e é por ter tempo no tempo que nois percebe ondé que mora o espaço da poesia ..
fazê o que se é assim que o meu zói enxerga ..


__________________________________________________


quei um tempo ensaiando os mió jeito de chegar aos finalmente de seu aniversário e devo dizer que num foi um percurso facil .. calculei as matemática das letras, as equação dos sentimento, isolei tudo isso em função do cê e vi que a razão desses trem tá acontecendo é só porque ocê é especial demais pra mim! minha maninha, muita coisa tenho pra falar .. mas de todas as combinação de sílaba só consigo me agarrar nas que traduzem a sua força. neste dia, penso como é importante que ocê refaça os votos de amor próprio, que sinta em seu corpo a potência que tem e que reconheça o quão linda é a sua história. desejo que tenha carinho, todos os dias, por ser quem é e que nunca duvide que ocê é sim poesia pura!!! eu, menina lumbriguenta de verso que sô, tive o privilégio de receber do cê um dos mió presente do mundo, que é ter lá no céu uma estrelinha que assopra verbo pra terra, que me faz confiar na beleza do destino e ter a certeza de que nada é pra ser sozim nessa vida. sinto uns trem que num cabe nem nos tamanho do meu coração. muito obrigada! eu tenho muito orgulho do cê, da sua coragem que chega a ser vitamina pra coragem dos oto. participar do cê me faz feliz! ser sua irmã e irmã do diulco faz toda a vida ter mais sentido .. é dos trem mais bão do mundo compartilhar toda essa duidura cocê .. é muita história pros tempo tudo!! amo ocê dum tantão que chega a confundir os zói do cérebro ❤️ feliz aniversário!!!!


_____________________________________________________


há algumas semanas surgiu a oportunidade de fazer um relato sobre a vivência que tenho tido aqui pela zoropa sendo muié e brasileira. o lance da proposta é transformar esse material numa performance que vai rolar lá pros lado da universidade de coimbra.
achei interessante esse rolê porque de quebra era também uma possibilidade de pausar e refletir sobre um bucadim do tudo que tenho vivido e visto do oto lado do oceano ..
já faz mais de dois meses que tô por aqui e um tanto de trem já deu conta de acontecer. todo dia é dia, mas às vezes fico cas impressão que inda tô é no avião vivendo a intensidade daquele abandono no céu.
mai isso é ideia sem régua .. a falta de entender uns trem é que confunde o coração das palavra.
eu já tô no chão faz é tempo. e no chão tenho vivido os limites de cada experiência .. a grande treta é que nessas nois só descobre o tal do limite quando já tamo envolvido nele, e isso às vezes é matéria dumas emoção que nois nem imagina que tem.
nois guarda muita coisa nas buchecha da alma .. e é só no riso facil e no choro deslizado que nois percebe isso.
e é nas onda do riso que venho vivendo dias interessantes. tô respirando ar puro numa cidade tranquila, cheia das senhorinha que dá tchau com adeusim e que para nóis na rua só pra falar dos trem mais zóiado da vida. tenho estudado coisas diferentes, as pessoas são em geral muito simpáticas, perguntam porque comboio (trem :p) na minha boca vira comida e até memo a muié do mercado já sabe dos 150 gramas do queijim mais barato que tivé.
posso dizê que tô feliz aqui e reconheço o privilégio que há por trás dessa oportunidade.
já nos tempero do choro, daquês que parece sair é das células do corpo de tão nosso que é, tenho visto e passado por uns trem mei esquisito por aqui e que me faz pensar e repensar numa muntuêra de coisa.
é homi invadindo nossa intimidade só porque samo brasileira. é discussão importantíssima sobre racismo sendo negligenciada, é umas piada de mau gosto, uns tal duns portugues falando que a invasão no brasil foi top e que nóis devia era agradecer, dentre otros episodio mei grosseiro de xenofobia regado dum eurocentrismo dos mais enraizado que tá pra tê ..
tem dia que choro e nem vejo
tem dia que rio e nem óio
e é no mei dessas natureza do corpo no mundo que nois vai se voltando cada vez mais pras verdade da nossa casa ..
bjim e bas noite proceis tudo!


____________________________________________________________


esses trem de tempo resulta numas história engraçada .. meu bão e véi celularzim de tecla é o único que tá pareado cas hora da zoropa, só que meu bichim num tem os talento de mudar no automático!! nessas, descobri só nos adiantado do dia, e por um acaso, que arrumaro de programar na calada da noite passada um tal de horário de inverno 😝 fiquei o dia todo descompassada dos relógio .. quando percebi, parei, oiei pro lado e dei uma risadinha cheia de sentido: tava explicado por que hoje fui a primeira a sair de casa, por que num encontrei as mema senhorinha na pista de corrida, por que deu fome mais cedo, por que danou de escurecer antes da hora e por que o diaxo da aula num começava nunca .. é meu fi, têm umas lei do tempo que faz a gente parecer é bobo. me divertindo nos avesso .. amanhã vô lá hoje ..


_____________________________________________________________

ricardim é daqueles tipo de humano que faz ocê oiar pro céu só pra agradecer pelos envio .. num sei ao certo qual foi os enrosco que arrumaram lá nos processamento do destino, mas sei que depois que esse homi chegou na minha vida nunca mais fui a mesma.
pela primeira vez fui junto ..
compartilhamos os movimentos da vida sem retoque. rimos e choramos pelos trem que tem letra e pelos tantos otros que só aparecem memo é no oiar. ricardim me faz sentir uma saudade de gente, um amor de gente, um cuidado de gente .. me devolve todos os dias pras minha importância. me faz sensível ..
agradeço todos os dias por ter ocê em minha vida, meu parcerim!
hoje é seu aniversário e neste dia tão especial gostaria de estar aí pertim e te dar um abração daqueles que espreme todas as verdade até virar lágrima, mas já que arrumamo de viver essa distância te comemoro do lado de cá! quero que acorde hoje cheio de energia, feliz e impregnado na certeza de sua beleza, de sua força e de sua imensa sabedoria.
se valorize, se respeite ( 😆!!!), sinta-se bem pelo coração poderoso que tem e pela pessoa maraviosa que é!!
eu te admiro muito e aprendo todos os dias coce em nossa amizade .. e o mió de tudo isso é que ocê é de verdade!!! né nem de mentirinha ..
ainda vamo cantar um tanto de música nas linguage toda do planeta, vamo rir de muitas otra invenção, vamo subir tudo que é rampa impossível e passar perrengue nos paralelepípedo .. cocê todo dia é dia de novidade no véio mundo!
muito obrigada e feliz aniversário!! ❤️



________________________________________________________


em estado de descoberta, me vi sozinha nas duidice do avião. em mei a umas curva cheia de física, número e cálculo, cheguei a conclusão que um trem que deu tanto trabai pra ser inventado num ia despindurar do céu na maió das facilidades. mas comé memo que esse bicho chei de menina que come paçoca e bolacha trakinas fica grudado nas gravidade? num sei que que oceis avalia disso, mas pra mim isso tudo foge das ciência dos bão comportamento da terra.
parece que no céu tudo vira avesso ..
oiava prum lado, rumava pra outro e só conseguia pensar no tanto de mar que conjunta o mundo. horas de quilometro de azul, quilometros de hora que num passava .. tentava raciocinar quantos predio eu ia precisar um ni riba do oto pra chegar naquela altura toda, mas aí quando percebia que eu tava longe memo de qualqué esboço de superfície dava logo um jeito de cutucar otras vias .. daqui pra la tem mais dali? é, meu fi, só vendo pra ver.
chegando no marrocos vi uns trem interessante, mas minhas primeira conexão sinaptica gritavam que eu tava nos faruei da terra. longe. longe pra dedeu. lá onde nem a jade chegou. em mei a tanta distância, pra aproximar foi só memo a musica, essa é danada .. ela sempre junta nas vontade de dançar. ô diá de som bão é o desse povo dos marroco. num entendia um segundo de letra, mas logo percebi que isso tudo nada mais era que aviso raro de mudança, mai conhecido também como os invisivo do coraçao, diagnóstico duns trem que opera no instinto da gente causando piripoco nos muito, microscopia dos macroscópico e revolução dos dentro de fora.
agora, se oce num ta entendendo nada, imagine minha vó que acabou de me ligar e viu que nem o relógio é mais os memo?
sol e lua no memo céu e oceis inda acha que o bicho é pequeno .. bobé nois!
bas noite proceis tudo!!


_________________________________________________

vortei!!



na realidade foi um pequeno recesso ..
zubitcha foi voar na zoropa! fiquei por la uns 6 meses e a bagage inda tá pesando hehe .. tanto trem na minha zoreia!!
em breve tudo isso vira elemento .. tá pra exprodir!!

por enquanto deixo nos lerigou alguns trem que eu andei escrevendo nos ultimos meses. dentre outras coisas, descobri que ficar sem escrever dá sintoma no meu corpo .. é dos trem mais diferente. na zoropa eu consegui escrever só 2 ou 3 vezes, o que é muito pouco comparado à frequencia com que eu escrevia no brasil.

esses negocio de viajar foi mei ligeiro. quando eu vi ja tava lá. consegui uma bolsa e vazei.
ano passado muita coisa me aconteceu .. segui fortalecida na amizade com ricardim, de longe uma das pessoas que mais tem o meu carim e cuidado nesse planeta. ele acabou de sair aqui de casa e tá fresquim meu amor por ele!
ano passado comecei a praticar exercicios e perdi la pras largura de 12 quilos. foi muito interessante me ver nesse outro corpo.
aumentamo a famia com mais 2 gatinhos .. raul e cara preta!
voei .. vivi .. conheci pessoas que cresceram meu coração e deram nome pra saudade.. engordei .. vortei ..

agora to numa preguiça dos deabo!!!
e quero me formar ..
o tcc vai sair!! tá plantado ..
conheci alguém que ta testando meu relogio .. vamo ver.
tinha um italiano aqui com a gente até semana passada, muleque daora e que deu vontade de ter mais pertim .. mas oceano é coisa séria!

e é isso .. a vida num quer muito saber de parar, nao .. ela tá cheia de vontade.
mes que vem começo meu estágio e to bem animada. eu quero voltar a pensar, escrever, articular, problematizar, ehee .. chega de preguiça, mulé!!!

ja perdi 4 kg .. correndo! descobri que isso até que é bão.

e é isso.zubitcha tá viva. me sentindo cada vez mais avançada .. é tecnologia de ponta. rai téqui!!!

zuba.

sábado, 12 de agosto de 2017

dubversão encontra digitaldubs - relato

noite de 11 de agosto de 2017.

eu precisava renovar os votos com a cultura sound system.
já fazia um tempim que num ia a nenhum evento, ou até memo que parava pra ler sobre o assunto .. tava bem afastada do estudo e cabô que meu coração criô a mema lonjura.

eu num sabia que tava nesse estado, soube só quando aconteceu, lá pras 3 da manhã ..

o  evento donte era bastante atrativo e a presença massiva de público refletiu isso. a fila fazia era dobrar as dobra do centro da cidade. até assustei, mas não muito .. dubversão é reconhecido entre os demais sounds como o pioneiro dessa cultura aqui em sampa, é prestigiado por mó galera; do outro lado, digitaldubs vem representando os início lá do rio de janeiro. eles viero cas caixa tudo pra compor a arena. o estôro era, sim, esperado.

quanto a mim .. sem grandes expectativas. eu queria memo era dançar, ver gente, conhecer a proposta do digitaldubs e ouvir um bão reggae com boas mensagens prensadas em vinil. os bailes do dubversão são interessantes, mas não me cativam tanto quanto os do africa mãe do leão, por exemplo. mas definitivamente são contextos e direções sensivelmente diferentes, não faz nem muito sentido compara-los, os sounds são muito plurais .. "cada sound uma missão", como canta laylah arruda, que inssscrusive tava por lá onte também e segue com mó energia representando a força ômega nesse espaço que ainda é tão dominado por homis.

onde oce oiava .. homi. homi. homi e mais homi.
é muito homi, acho que ja até me acostumei com isso, mas conformada nunca .. hehe.
3 muié no mic, mas o resto tudo homi. e na maioria das vezes é quando o homi pega pra cantar que o público delira. num sei até que ponto isso pode servir pruma analise crítica, mas sem dúvidas é bastante característico da sociedade em que vivemos e num deve ser negligenciado. ainda não sinto tanta representatividade e autonomia feminina nesse meio, mas sem duvidas ta rolando umas expansão daora.

oto trem bão de comentar é sobre a dinamica do baile, que sem duvidas é diferente dos que to acostumada a frequentar.
num sei se é o caminho do digitaldubs ou se eles tavam mais na onda dum role comemorativo, já que eram celebrados 15 anos dos dois sounds, mas eles tocam mais de dois lados da mesma tune - tô acostumada com dois, três no maximo - , e nem sempre eles colam só com reggae. ontem memo apresentaram umas versões com mc carol, evidenciando a condição da mulher negra em alguns versos, e com baiana system.
ah, outro trem que é diferente do que tô acostumada, é que em toda tune (e nao de forma alternada ..) colava alguém pra somar com poesia em riba da musica, seja na "parte 2", "parte 3" ou  na"parte 4" do som. aí virava uma tune gigante, mas com versos super engajados, reforçando um aspecto da cultura que é central pra mim.

acho que o mais interessante de ir atrás doutros sounds é que em cada role que cê cola cê acaba conseguindo flagrar mais nuances da cultura que em um ou noto sound às vezes num é tão explorado, ou que oce simplesmente num consegue captar porque tá panguando, concentrada notos quinhentos.
é daora também porque cada vez mais seu corpo diz qual vertente do reggae oce curte mais. das que mais tocaram ontem - e das que sei identificar, porque o reggae é muito complexo, é estudo constante - percebi que dancehall realmente é um som que num me dá muita vontade de dançar, steppa vareia, depende dos momento, e roots .. roots é instantaneo. meu corpo adora reggae roots.

ah, pertinente salientar que a galera que tava lá ontem delirava no steppa.
eu num sei qual é bem a definição do meu relacionamento com essa vertente. oiando assim é mei esquisito porque fica parecendo que tô numa rave e eu tenho dificuldade em fazer qualquer associação de reggae com esse formato de festa, muito talvez por um preconceito de minha parte, ignorancia, senso comum sobre o reggae, ou até memo o contrário, por estudar demais os inicio disso tudo  .. aí eu travo muito pra dançar steppa e entro numa crise existencial porque começo a repensar minha relação com o reggae, e aí acaba a musica e vira um rolê engraçado .. inda tô em processo sobre isso .. mas é contraditório também porque tem rolê que eu me acabo de dançar steppa. sô meio avessada, preciso conversar com alguém sobre isso pra abrir minha mente protras ideia. ((edição: conversei e cheguei a conclusao de que é preconceito porque é um som mais digital, e eu curto uns som mais organico, mas dançar steppa realmente é uma delícia))

oto trem delicado que percebi nimim, e que acho que aprendi muito com os menino do africa mae do leão, é o respeito pelo que a gente tá ouvindo. ontem tive a certeza de que tenho isso impregnado nimim, uma resposta que já é do corpo, nao à nível de consciência, que denuncia que reggae num é só dança. quando começava a tocar uma tune eu num saía dançando .. esperava pra ouvir a mensagem e, só depois, passava a dançar.
oiei pralgumas pessoas que estavam lá e que também costumam frequentar as celebrações do africa e percebi que era um gesto compartilhado. coincidência? suspeito que não.

mas vortando a falar sobre os trem que nois nota ..

ontem também foi legal porque consegui visualizar e sentir pela primeira vez a famosa arena de sound. além disso, consegui prestar mais atenção em como são manejados os equipamentos naquela muntuêra de botão. enfim .. consegui pegar mais o feeling dalgumas coisas .. e foi uma sensação muito gostosa.

em certo momento eu fiquei mais pertim da caixa do dubversão e aí foi que eu peguei de vez a ideia de arena. sentia saudade quando o som passava a bater do oto lado, e via pessoas transitando entre as caixas, seja pra sentir o grave mais de pertim, ou por questão de preferença mesmo, e embora tenha ficado bem claro entre os dois selectas que a ideia nunca seria de soundclash (ou de competição), acaba que visualmente rola essa sugestão, até memo pela disposição das caixas e tal.

diferente dos oto dia, eu gostei muito de ficar pertim da caixa. foi gostosa a sensação .. lembrei de quando li sobre o efeito do grave sobre o nosso corpo .. certa vez li que ele atinge nossas parte de cima tudo e aí massageia o coração. e massageia memo, é delicioso. e o tum tum tum do som, enquanto oce dança, faz um ventim que impulsiona mais ainda seu pé. aí oce mei que dança com o som e com o vento que sai do som. foi gostoso perceber isso.

é como se a caixa quisesse te dizer alguma coisa.
eu tive essa impressão ontem muito forte. parecia que ela tinha era palavra na boca. eu tava de costas pra caixa e parecia que ela tava dando pitaco de coisa boa na minha oreia .. a gente conversou muito a noite toda .. ela me fez perceber uns trem que nos original do dia nois num escuta muito. voltei foi satisfeita pra casa. em paz ...

gostaria de registrar um dos meus momentos preferidos, que foi quando um dos convidados (num lembro se foi monkey jhayam ou jeru banto, ou oto ..) convocou os agudo, os médio e os grave do dubversão. foi super interessante .. nunca havia passado por essa experiencia também.
primeiro, os agudo na caixa.
depois, os medio na caixa.
e por fim, só depois de muito baruio .. os grave.
e aí o povo delirou tudim .. porque bateu pesado! e é daora essa dinamica porque mostra essas tres composições que são tão presentes e características da cultura.

enfim. eu teria mais um monte de trem pra falar, mas as palavra tão mei torta.
foi uma noite agradável e de muitos aprendizados!

sarve todos os sound systems que não se esquecem de suas raízes!

zuba.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

pro valtim

oto dia topei cum amigo e ele me contou o tanto que a vida tava dificil. disse até que lágrima pra chorar num tinha mais não .. brinquei perguntando se ele tava regando os mato da roça com lágrima, em resposta ele disse que não, isso porque atrapaia uns nutriente. a gente riu. a gente riu até chorar ..

os andamento do mundo tão capinando lágrima. os juramento do tempo corta tudo as emoção .. é chegada a hora .. sentir é resistir. a gente precisa duns tumulto no dento, dumas operação fora de hora, desconjuntura de verbo, reboliço de tempero, duns tudo e nada, duns agora e só mais tarde.

nessas, falei que sô pior que britadeira. sô junção de liquidificador, trator, ônibus desgovernado, piriquito envenenado e tudo que é trem que mistura e rebola sentimento. perdida via de regra, confundida nas certeza mais bonita da vida. hoje ou nas veíce, eu nasci pra viver em riba dos instante.

e por isso ..


agradeço aos agrado do vento
aos adereço sem endereço
pelas verdade lombriguenta da emoção

otro dia me disserum
que a seca que esquece do zói
fala mais do mundo
que do homi

e de medo do íntimo
nunca comi um único miolo de pão
vida

o mundo num me taia mais
as vista há de chorar
até as zanguice mais microscópica do coração

é trato

assim é vivido
assim é sabido como os sopro de qualqué sabiá
que os ensinamento mais comprido da terra
há sempre de fazê morada nas minha revolução ..


-----

é dia, é nois!!

ira





salve o povo xucuru

na cumeeira da serra ororubá o velho profeta já dizia
uma nova era se abre com duas vibras trançadas
seca e sangue
seca e sangue ..

herdeiros do novo milênio
ninguém tem mais dúvidas
o sertão vai virar mar
e o mar sim
depois de encharcar as mais estreitas veredas
virará sertão

antôe tinha razão
rebanho da fé

a terra de todos
a terra é de ninguém
pisarão na terra dele todos os seus
e os documentos dos homens incrédulos
não resistirão à Sua ira

filhos do caldeirão
herdeiros do fim do mundo
queimai vossa história tão mal contada ..

ah .. joana imaginária
permita que o conselheiro
encoste sua cabeleira
no teu colo de oratórios
tua saia de rosário
teu beijo de cera quente

e assim na derradeira lua branca
quando todos os rios virarem leite
e as barrancas cuscuz de milho
e as estrelas tocadeiras de viola
caírem uma por uma
os soldados do rei dom sebastião
mostrarão o caminho!

x______x




domingo, 2 de julho de 2017

rótulos


sem tipagem
e
sem graceza

segunda-feira, 26 de junho de 2017

o tempo te (des)tempera?


devagar
o tempo transforma tudo em tempo
o ódio
transforma-se em tempo
o amor
transforma-se em tempo
a dor
transforma-se em tempo
os assuntos que julgamos mais profundos
mais impossíveis
mais permanentes
e imutáveis
transformam-se, devagar, em tempo
mas por si só
o tempo não é nada
a idade não é nada
e eternidade não existe

josé luis peixoto