domingo, 22 de dezembro de 2013

corações da vida




Mais um ano que se fecha.
No entanto, os momentos não deixam de existir e os sonhos seguem seus passos, ora tranquilos, ora gulosos, mas persistentes.A amizade laçada entre o presente e a lembrança é uma relação que realmente nos desafia. A memória é um dos corações da vida!

No mais, desejo que 2014 seja um ano espiritual e de muita força para todos nós. Que saibamos dialogar mais com o nosso subjetivo e menos com o nosso racional. Temos um potencial para a paz ainda muito desconhecido, mas quem o descobre encontra uma perspectiva genial da existência. Estar em paz é ser paz. É fazer da vida uma eterna brincadeira donde se tira o riso, o choro, a dor, a esperança, o medo e mais um turbilhão de sensações. Fazer dessa matéria uma construção é o que a vida aguarda de nós, portanto, que sejamos todos os dias a continuação de uma obra única e especial: o nosso eu. 

Sou grata por tudo o que conquistei nesse ano que se encerra! 
Um prazer ser sua, Luiza. Sou de verdade muito feliz nesse corpo! Quero me continuar cada vez mais e mais .. e mais .. e mais um bocado! Pera! mais um tiquim de mais!! 

Desejo a todos vocês uma caminhada maravilhosa ... que possamos entrar em contato com os corações da vida e que sejamos o coração maior! Que sejamos.

QUE SEJAMOS!!!!!!!!!!!

Simbó!

Feliz virada
Esses são alguns dos votos de Zuba. 



quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

sábado, 14 de dezembro de 2013

paz e mais nada



Iluminar é dar ar.
E dar ar é uma atitude bonita. Colocar pra respirar o que nos inspira é uma maneira de reafirmar a vida. 
Se estou aqui, que aqui eu esteja.
A minha presença há de ser a minha alegria.
Cabelo bagunçado é paz declarada
E mais nada.


Zuba. 



quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

compromisso



"E como ficou chato ser moderno
Agora serei eterno!"




terça-feira, 10 de dezembro de 2013

11 do 12 do 13



Às vezes algumas espécies de verdades abrem mão da totalidade e se conformam em ser apenas a metade de algo que num deu tempo de ser tudo. Afinal de contas: Pra que ser tão radical, né mesmo meu fi?

Ser tudo não é ser todo
Ser todo não é tudo
Ser tudo é tolo
Ser toldo é tudo!




quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

uma noite no escuro



O silêncio tem cheiro
Olhos e horas
 Sussurra o nada que é pra alma arrepiar
Arrupeia numa paz e tudo fica no esperar
 Lua medrosa  
Eu te espero apagar.


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

meus sonhos




Eu sempre sonho com girassóis 
Girassóis 
Muitos .. muitos
Eu sempre sonho com eles.


segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

saudosismo




Ah! como era bom
Mas chega de saudade
A realidade é que aprendemos com João
Pra sempre ser desafinado
Ser desafinado
Ser desafinado

Chega de sauDAde
cHEga de saudade
CHEGA DE SAUDADE
chega de saudade
chega de SAUDADE
CHEGA de saudade
chega DE saudade
CHEGA DE SAUDADE
chega de saudade
chega de SAUdade
CHEGA CHEGA CHEGA
chega de saudade
CHEga!!!!




domingo, 1 de dezembro de 2013

o último mês de 2013



Chegamos ao último mês do ano de 2013!
Mais um ano em minha vida. Isso sim é especial
Aprendendo a ser mais Luiza a cada dia que se passa

Quero ser Luiza pra sempre ...
Assim
Desse jeito:

Participando





quarta-feira, 27 de novembro de 2013

fobus in totum




Pisando o som da era total
Acampando no espaço sideral
Lendo em vistas de super-man
Só os astral

Loucos
Na batida do som
Loucos
Talvez fora do tom
Apesar disso nós te amamos, Liu

Vendo a fumaça subir 

(...)


cabeça baixo baixo cabeça de




Bu

a noite! 



breve descanso



Puxar um breve descanso pra encarar o que está por vir!

Sem peso na cuca, Zuba!!

Otima semana ..



sábado, 23 de novembro de 2013

do resto cuida ...




Menina da preula,

hoje você decidiu apagar o passado de seu guarda-roupa. Aqueles risquinhos de outrora não te representavam mais e eu juro que te entendo. Por isso, pegou o alcool, o pano e o banco e saiu por aí a excluir um momento qualquer de alegria. Traços mudam, os olhos, ao assumirem a vida, se responsabilizam por uma caça constante de momentos. Isso não me preocupa! A confiança que tenho em sua felicidade me permite respirar aliviada. Suas mãos não seriam capazes de eliminar de forma tão cruel o sorriso e o bem-estar, seja qual fosse o seu tempo. Sei que de onde se tira, entra ainda mais. Não tarda! Esse é o substrato de seu conhecimento, o saber do riso somatório que tanto prezo. Riso tímido que devolve ao planeta a intensa simplicidade. Que gostoso é o simples, quero morar e morrer nas raizes dessa árvore.
Boa virada! Boa pedida! Boa birilóba!
Espero que você não se acostume com o viver. Eu sei que às vezes parece que tá pegando a manha, mas não se deixe enganar. A gente muda e às vezes repensar algumas atitudes é um exercício que vale a pena ser vivido. Se adaptar não é dar o braço a torcer, é querer tentar ser o melhor em todas as vírgulas que passam pela nossa história. Por favor, pense nisso!

Obs.: Fiquei sabendo que jogaram uma macumba na esquina da sua casa. Olha, não precisa dar margem ao arrepio. Preocupe-se com outras coisas que do resto cuida as bactérias!

Vai na vida! Confia.

                                                                                                      Eu.


sexta-feira, 22 de novembro de 2013

viagens na minha terra



"Imaginar é sonhar: dorme e repousa a vida no entretanto; 
sentir é viver ativamente: cansa-a e consome-a"

terça-feira, 19 de novembro de 2013

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

paradoxo do tempo




Esta é uma mensagem para Luiza.

Luzuba
Doida nem tanto.
Coordenação num é coração
Isso é engano
O tumtum não é martelo
 Quem martela é o tempo
O tempo que tique taca
Te entrega nas oreia
Apenas um compasso que te diverte
Se aqui é tic
Aqui será tac
Tic?
Tac!
E aqui acaba a certeza.


tátáté





tá tá tá tá tá tá tá tá tátátá tá tá tá tá tá-tá-tá tá tá tá tátátá tá-tá-tá
tá tá tá tá
tátátá
tá-tá-tá
tátátá
tátátá


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

dois ni um



rio da felicidade
o líquido e o estampado

Zuba

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

plano luízistico




Um dia eu decidi que seria Luiza. Prazer, Luiza. Eu sou a Luiza, registro diário dum registro primeiro. O encontro de duas células que viraram haploides depois de um processo meiótico de divisão celular.
Eu precisava ser Luiza e era por questão de fidelidade. Cumprir a vida é cumprimenta-la em todos os seus momentos. É dar um abraço apertado em tudo o que nos move, seja pra frente ou pra trás, pra leste ou pra oeste. Abraçar .. sentir o cheirinho das novidades, beija-las em suas inesqueciveisdades. Serei para sempre uma memória feliz de mim mesma! Esse é meu plano luizístico.

brincadeirinha de segunda-feira acompanhada duma breve observação



num dá porque num deu, num fá porque num feu, num lá porque num leu e num sá porque num seu. num iá porque num ieu, num má porque num meu, num pá porque num peu, num tá porque num teu, num vá porque num veu .........




Hoje me dei conta de que estou perdendo as coisas com muita facilidade. Já fui mais organizada ..

BOA NOITE!


domingo, 3 de novembro de 2013

o menino e o mar



"Eu vi as ondas brincando de pega-pega
Levar as águas do riacho cristalino
Eu vi menino vir brincar no mar
Ô mar, vem lavar pé de menino

Menino, vem brincar no mar
Ô, mar, vem lavar pé de menino

As gaivotas vão fazendo suas rondas
O sol levanta
O vento leste me incendeia
No chão da praia vou guardar a minha arraia
E construir o seu castelo de areia

Menino, vem brincar no mar
Ô, mar, vem lavar pé de menino ..."

O menino e o mar - João Bá






quinta-feira, 31 de outubro de 2013

histórico



O médico 
Me disse
Médice
Sua pressão.



segunda-feira, 28 de outubro de 2013

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

guiriguela



Pá se sabê de tudim
Há de passar pelo nada
E o nada tem lá seus dias de transbordamento
A alegria do nada
Num rouba a felicidade constante do tudo
Apenas ensina
Num passo esquisito
E mal-encarado
Que no canto de cada cadim
Há vida.


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

domingo, 20 de outubro de 2013

agitado



Hoje eu fiz muita coisa
Até desmaiei



terça-feira, 15 de outubro de 2013

mim



"Beijo pouco
Falo menos ainda
Mas invento palavras
Que traduzem a ternura mais funda
E mais cotidiana
Inventei
Por exemplo
O verbo teadorar
Intransitivo:
Teadoro, Teodora."

Manuel Bandeira



sábado, 12 de outubro de 2013

shiu!



Num se sabe
O que se soube
Entrou num zovido
Saiu no dozoto
Dozoito
Dezoito




quinta-feira, 10 de outubro de 2013

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

dicas legais!




1. Se você estiver com a garganta doendo, aperte seu ouvido:
Pressionando os nervos do ouvido, ele vai gerar um reflexo imediato nos espasmos da garganta e alivia o desconforto

2. Para ouvir melhor utilize apenas um lado da orelha:
Se você está em um clube e não ouvir bem o que as pessoas estão dizendo, vire a cabeça e use apenas a orelha direita, uma vez que ela distingue melhor as conversações, enquanto a esquerda identifica músicas de som.

3. Para resistir à tentação de ir ao banheiro pense em sexo:
Quando não resistir à vontade de urinar e não tiver um banheiro por perto, pense em sexo. Isso vai entreter o seu cérebro e reduzirá o estresse.


4. Provoque tosses para reduzir a dor:
Um grupo de cientistas alemães descobriram que quando você espirra, aumenta a pressão no peito e coluna vertebral, inibindo, assim, dores na coluna.

5. Se você estiver com o nariz entupido:
Pressione o céu da boca e o nariz. Toque o céu da boca firmemente com um dedo, segurando o nariz abaixo das sobrancelhas. Isso permitirá que as secreções possam se mover e você volta a respirar.

6. Quando você tiver com azia, durma sobre seu lado esquerdo:
Isto cria um ângulo entre o estômago e do esófago, de modo que o ácido não pode passar para a garganta.

7. Quando um dente dói esfregue um cubo de gelo em sua mão:
Você deve passar um pedaço de gelo na área, em um “v” que tem entre o polegar e o dedo indicador contra a palma da mão. Isto reduz em 50% a dor, pois este setor está ligado aos receptores da dor da face.

8. Quando você se queimar, pressione o ferimento com um dedo:
Após a limpeza da área afetada, pressione com a mão sobre a queimadura, assim ela retornará a temperatura inicial e evitará bolhas. (Para pequenas queimaduras, apenas)

9. Quando você estiver bêbado:
Repouse a mão sobre uma mesa ou superfície estável. Se você fizer isso, seu cérebro vai recuperar o sentido de equilíbrio e evitará que tudo gire ao seu redor.

10. Ao correr, respire quando o pé esquerdo pisar o chão.
Isto irá prevenir sentimento de comichão no peito, porque se você respirar quando você coloca o pé direito, fará pressão no fígado.

11. Se sangrar o nariz, empurre com o dedo:
Se você deitar com o sangue escorrendo poderá se sufocar, por isso é melhor pressionar o dedo sobre o lado do nariz quando você tiver sangramento.

12. Para controlar o batimento cardíaco quando você está nervoso
Coloque o polegar na boca e assopre, isso irá ajudar seu coração parar de bater tão rápido a partir da respiração.

13. Para aliviar uma dor de cabeça quando você bebe água gelada:
Quando você beber algo congelado, resfria o paladar e o cérebro interpreta. Então você deve colocar a língua no céu da boca para retornar à temperatura normal.

14. Previna a falta de visão quando você está na frente do PC:
Quando você coloca seus olhos em um objeto próximo, como um computador, a vista fica cansada e não consegue enxergar direito. Por isso, feche os olhos, contraia o corpo e prenda a respiração por um momento. Então, relaxe. Remédio santo.

15. Desperte suas mãos e pés adormecidos movendo sua cabeça:
Quando você dorme, um braço ou uma mão, gire a cabeça de um lado para o outro e sentirás a dormência passar dentro de 1 minuto. Os membros superiores adormecem pela pressão sobre o pescoço. Igualmente para pernas e pés, leva alguns segundos.

16. Uma maneira fácil de prender a respiração debaixo d’água:
Antes de mergulhar, fazer respirações muitos rápidos e fortes para fazer o sangue ácido desaparecer, pois isso é que causa a falta de ar.

17. Memorize textos à noite:
Tudo o que você ler antes de dormir, o mais fácil de lembrar.


fonte: http://fotosenoticias.com/curiosidades-sobre-o-corpo-humano/


domingo, 6 de outubro de 2013

sábado, 5 de outubro de 2013

cuca do tempo



Na cabeça do tempo
Eu plantei um Ipê amarelo
Bem no centro da vida
Eu finquei o meu mastro de ferro
E da palma da mão do meu pai
Vi o mundo de perto
Minha irmã me cantava as canções 
Que eu viria cantar pra vocês

Ói eu aqui, viu
Veja de novo e crê
Que num tem mais mistério a criação
Meu canto é claro
E agora Aíssa diz
Pai, me bote na palma de sua mão
Eu também quero ver esse mundo de perto ...

Ô, dandô
Dandei
Olha o vento que brinca de dandar
Ele vem pra levar as andorinhas
Ou quem sabe a canção pruma janela
Saciar o ipê que se formou
E roubar suas flores amarelas

Senhor vento, eu num quero ser primeiro
Mas preciso uma ponga pelo ar
Quero ser bandoleiro como vós
No balanço do mar poder cantar

Vou armar o meu circo colorido
Vou viajar bem pra além das ilusões
Vou contente acenar pro continente
Vou dandar nas porteiras das canções.


Canto dos Ipês amarelos - Dércio Marques







um bilhete pra lulu



eita preula resume o que num pediu pra ser resumido mas exige um menor espaçamento dentro de minha vida que num é curta mas pede menos do que me pede mais e isso me faz crer que a minha adição de pensamento é algo que há de ser valorizado a fim de me guiar para caminhos mais coerentes num momento em que a realidade fede que nem jaritataca após um lindo dia de chuva jorrando marias fedidas em meu quintal que num é minha cabeça num é meu nariz mas que é um espaço físico destinado ao que me faz bem feliz e se a felicidade há de empurrar cos umbigo um traguim de nada do desânimo que nos fracos pede bis eu me disponho a te mostrar que no sonho de quem nada diz o pisca splesh são os olhos que trazem ao mundo o eu que eu mesma fiz!!


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

futuro



Agora eu tenho 18 anos de idade.

Não sei bem ao certo o que pode ser produzido a partir desse ano a mais que invade a minha vida. 
Desde que eu nasci é exatamente assim: Dá 29 de setembro, e pimba! Soma um e some outro.






quarta-feira, 25 de setembro de 2013

presente



enfia o to be no to ba



domingo, 22 de setembro de 2013

sábado, 21 de setembro de 2013

tô chegando



Encosto a cuca no ombro
Pá fungá minha existência
No meu cheiro
Mora a porta do meu mundo



terça-feira, 17 de setembro de 2013

trem de doido




Se meus olhos estivessem nos dedos, se minha boca tivesse nas oreia e se minhas mãos saltassem do nariz, é provável que as minhas possibilidades fossem outras. É confiável que minha história cheiraria outros cheiros, comeria outros sabores e tateasse outras superfícies. Talvez o meu relevo não fosse tão antigo a ponto de contribuir com todos esses desgastes que roubam de mim a felicidade proporcionada pelas elevadas altitudes. Poder dispensar o zoom do céu é sim questão de geografia. E isso é assunto sentimental.
O céu guarda o que o sangue arterial e venoso não conseguem entregar ao coração. Com toda essa distanteza, eu precisaria dum sistema circulatório muito mais eficiente, e pode ser que isso até explique o  excesso de centímetros que acompanham o meu tão solitário 1 metro.
Não me conformo:
Hemácias nunca serão estrelas
E plaquetas tão longe de representar o ciclo da Lua

Zuba, zuba. Ô, dona Zuba
Que é que ocê precisa pra entender
Que distância não se calcula?

A perteza num é certeza.
A distância é quem procura
E quem procura
Viaja.


o bom e véio mistério do planeta (participo sendo).




"Vou mostrando como sou
E vou sendo como posso
Jogando meu corpo no mundo
Andando por todos os cantos
E pela lei natural dos encontros
Eu deixo e recebo um tanto
E passo aos olhos nus
Ou vestidos de lunetas
Passado
Presente
Participo sendo o mistério do planeta.

O tríplice mistério do stop
Que eu passo por e sendo ele no que fica em cada um
No que sigo meu caminho
E no ar que fica que assistiu
Abra um parênteses
Não esqueça
Que independente disso
Eu não passo de um malandro
De um moleque do Brasil
Que peço e dou esmolas
Mas ando e penso sempre com mais de um
Por isso ninguém vê minha sacola!!"






sexta-feira, 13 de setembro de 2013

foi muito bonito



Hoje foi muito bonito
Muito obrigada ..

Buniteza



quarta-feira, 11 de setembro de 2013

hoje eu presenciei um assalto



ziruleite num pediu perdão ao seu dente de leite e aí ele zerou todas as suas conquistas nunca dantes vistas e agora elas estão perdidas como se nem tivessem existido na face da nossa terra já conhecida e simultaneamente desconhecida pelo povo que aqui estaciona dia após dia na intenção de sempre estrear um novo metro que compõe o nosso solo cada vez menos solitário!

Zuba





cálculo mental



1 + 1 é nada
Nem soma
Nem subtração
É 1 que deixou de ser 0
E é 0 que num teve competência para ser 1
Um o quê?
Um 1
Ou um 0?
Ou simplesmente 1 + 1
Que não chegou a ser 2
E suspira com a alma
A vontade de montar no 3
Pra ser quatro
Pra ser cinco
Pra ser seis

Pra ser sim sete
Eu não preciso de nada mais do que um oi
Tô aperreada num nó
Vê se me entende
E deixa dez ingrisia 
De me configurar sempre a lugar nenhum.



terça-feira, 3 de setembro de 2013

"CAPÍTULO XLII / QUE ESCAPOU A ARISTÓTELES"




"Outra coisa que também me parece metafísica é isto: - Dá-se movimento a uma bola, por exemplo; rola esta, encontra outra bola, transmite-lhe o impulso, e eis a segunda bola a rolar como a primeira rolou. Suponhamos que a primeira bola se chama ... Marcela - é uma simples suposição; a segunda, Brás Cubas; a terceira, Virgília. Temos que Marcela, recebendo um piparote do passado, rolou até tocar em Brás Cubas - o qual, cedendo à força impulsiva, entrou a rolar também até esbarrar em Virgília, que não nada tinha com a primeira bola; e eis aí como, pela simples transmissão de uma força, se tocam os extremos sociais, e se estabelece uma coisa que poderemos chamar - solidariedade do aborrecimento humano. Como é que este capítulo escapou a Aristóteles?!"


domingo, 1 de setembro de 2013

eu te diria que depressões são alegres





ora pro nobis



be-re-a-bra-si-i-le-sil
fe-u-fu-z-i-lê-zil
c-a-ca-ne-h-a-o-til-ão!

ora pro nobis
ora pro nobis!!





sábado, 31 de agosto de 2013

ai se sesse



"Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse 
Mas, porém
Se acontecesse de São Pedro não abrisse 
a porta do Céu e fosse te dizer qualquer tulice
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse
Pra que eu me arresolvesse 
E a minha faca puxasse
E o bucho do Céu furasse
Tarvez que nois dois ficasse
Tarvez que nois dois caísse
E o Céu furado arriasse 
E as virgi toda fugisse!"

Zé da Luz 


meu mês das fulôzinha chegou!


 

Setembrim, setembrim!
Enche nimim suas flores
Que no nove (no novo)
A gente chega no dez!

Gosto muito de você


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

o que eu penso antes de dormir



Biribim da casa torta encontrou alface na horta. Toc toc abre a porta e foi surpreendido por uma porca que entendia muito bem de hortaliças!

- Seria uma pena se o céu tivesse cara de chão!! Inverte inverte inverte. Inverte para ver o que é que acontece.

- Calma, porquinha! Assim ocê vai acabar despirocando. Seria uma tragédia no canto das antonietas.

- Eu acho que você não resolve isso por pura questão de pilantragi! Se a madeira mariloua cor de jambo jabuti ficar sabendo disso, não restará pedra sobre pedra! Por isso, vá ao sono! Amanhã a gente troca maiores vocabulários.

- Isso tá com cheiro de fujança.

- Eita preula!

         Inverteu e agora está tudo invertido. É aqui que eu sumo, pois no céu as pedras são estrelas. 



gratifica-se with



"Pedrinha miudinha"



m.p.b.c



"(...) Talvez espante ao leitor a franqueza com que lhe exponho e realço a minha mediocridade; advirta que a franqueza é a primeira virtude de um defunto. Na vida, o olhar da opinião, o contraste dos interesses, a luta das cobiças obrigam a gente a calar os trapos velhos, a disfarçar os rasgões e os remendos, a não estender ao mundo as revelações que faz à consciência; e o melhor da obrigação é quando, à força de embaçar os outros, embaça-se um homem a si mesmo, porque em tal caso poupa-se o vexame, que é uma sensação penosa, e a hipocrisia, que é um vício hediondo. Mas, na morte, que diferença! que desabafo! que liberdade! Como a gente pode sacudir fora a capa, deitar ao fosso as lantejoulas, despregar-se, despintar-se, desafeitar-se, confessar lisamente o que foi e o que deixou de ser! Porque, em suma, já não há vizinhos, nem amigos, nem inimigos, nem os conhecidos, nem os estranhos; não há plateia. O olhar da opinião, esse olhar agudo e judicial, perde a virtude, logo que pisamos o território da morte; não digo que ele se não estenda para cá, e nos não examine e julgue; mas a nós é que não se nos dá o exame nem do julgamento. Senhores vivos, não há nada tão incomensurável como o desdém dos finados!"




domingo, 25 de agosto de 2013

nine out of ten



uoun daum porto belo uou tio do saum do reggae ... ama laive






sábado, 24 de agosto de 2013

os cinco sentidos





Ontem pousou nimim um disco-voador
Luzes
Mania de piscar
Fecha e abre zóim
O puts puts da minha visão

Disco que voa
Esparrama no céu uma linda cantoria
Faz derreter minhas oreia
Entope de cheiro minhas narina

Se eu quisesse virar capim
Deitaria em cima de mim mesma
Pegaria ca mão 
Essa infinidade de pedrinha
E brincaria cos seus destinos
Num repetido pif paf

Enquanto isso a minha boca
Num cala
Num sente
Eterno espião do sono
É o ladrão bocejo
Que rouba de mim
O meu teto mais bunitu.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

22 de agosto



Hoje é o dia dedicado ao nosso querido folclore brasuquinha!
(Lindo é apelido)

Dos nossos cantos direto para o meu canto do cisco!




terça-feira, 20 de agosto de 2013

psicologia de um vencido




Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênesis da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

Profundíssimamente hipocondríaco, 
Este ambiente me causa repugnância
Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia 
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verme — este operário das ruínas —
Que o sangue podre das carnificinas 
Come, e à vida em geral declara guerra,

Anda a espreitar meus olhos para roê-los, 
E há-de deixar-me apenas os cabelos, 
Na frialdade inorgânica da terra!!!

Augusto dos Anjos (em um papo com o De-a-bo)


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

night



Trovadorismo - Humanismo - Classicismo - Quinhentismo - Barroco - Arcadismo - Romantismo - Realismo/Naturalismo - Parnasianismo - Simbolismo - Pré Modernismo - Modernismo (...)


     Estas são as escolas literárias que estudamos até então. Com exceção, claro, do Pré-Modernismo, pois este trata-se apenas duma fase de transição do Parnasianismo (Simbolismo não pegou muito aqui no BR.) para o Modernismo. 
    Cada escola possui a sua característica marcante. No Humanismo, por exemplo, o antropocentrismo, o homem enquanto figura centralizada, é um fator mais do que relevante, uma vez que, a partir disso, somos capazes de compreender o contexto histórico em que se passa esse enredo todo. O Humanismo chega naquele período de transição da Id. Média para  Id. Moderna, portanto topamos com as grandes navegações ( = expansão marítima) e contamos com o advento de novas tecnologias e métodos a fim de suprir todas as necessidades que eram impostas. Teocentrismo, donde estás ahora?!
   No Barroco rola uma parada muito curiosa. A escola surge no período da Contrarreforma, esta sendo a resposta da Igreja Católica à expansão da Reforma Religiosa que estava se propagando por toda a Europa. Como consequência, temos uma temática recheada de antíteses, onde o homem convive com o conflito 
 teo x antro. Será que devemos realmente "carpe 'dienizar' ?", "Deus aprova?". Eis a prova de que informação demais funde a cuca. 
   No Arcadismo temos a Revolução Industrial e temos também, inclusive, a tchutchuqueza de definir essa escola numa única frase:"sdds roça". Esse descontentamento vem acompanhado de frases de efeito em latim, tais como "fugere urbem", "carpe diem", "aurea mediocritas", etc, etc, etc. No Brasil, os mineiros inconfidentes são os principais autores.
   
   Procurar compreender a literatura é uma forma de acompanhar diversos momentos que compõe a nossa
Historia. Possuir um conhecimento horizontal acerca dos mais variados tipos de assuntos é uma forma de estabelecer contatos sociais frutíferos e, de quebra, parar de reclamar de coisas inconstantes. 

Vocês são chatos pra dedéu!




sábado, 17 de agosto de 2013

bicho papão abaixo do peso




Efeitos especiais
Feitos especialmente
Para suas especialidades
Espaço expandido
Perdido na extensão
De suas sempre tão espessas
Mãos




sexta-feira, 16 de agosto de 2013

não precisava ser tão radical



Meus pés! Meus pézinhos!
Minhas duas adoráveis opções.
No direito, trago a sorte; No esquerdo, o incerto
Abro com as mãos as portas da decepção
Mas piso

Piso piso
piso
piso
poiso
piso
e poiso

Pois é

Eu piso
Amarroto o chão
Mostro ao solo meu peso
(Em newtons)
E continuo pisando
Eu esmago 
E me liberto

Pisar
É o sobrenome do descobrir



caminhos



Minhas certezas usam óculos 

ps:




Cem
to
Peia



friday






segunda-feira, 12 de agosto de 2013

festival no céu não tem marmelada




"Sou do chão
Quero a luz do teu saber"





sábado, 10 de agosto de 2013